Mania de Aeromoça


 

 

 

– Atenção tripulação, preparem-se para o pouso.

– Temperatura: 23º C

Bem, ouvidas estas instruções em situação normal, toda a Aeromoça sabe que é hora de agilizar.

Se tiver terminando de recolher (o serviço), guardando o material (utilizado durante o serviço de bordo), preenchendo documentação, lavando uma mamadeira, retocando o batom ou seja lá o que estiver fazendo; é hora de concentrar-se no “check” de cabine.

 Tudo tem de estar guardado e encaixado de forma segura, ou seja, que resista ao impacto de um pouso, sem voar pela cabine e ferir alguém.

Segundo a crença popular, as atitudes repetidas involuntariamente por uma pessoa são alcunhadas de manias e não constituem riscos a ninguém.

Para os psiquiatras as manias já têm um peso maior, mas isso não vem ao caso, pois uma das manias comuns às Aeromoças se traduz em um adjetivo que só as qualifica: organizadas.

 Toda a aeromoça vive guardando o que vê sobre as galleys e descartando o que considera inaproveitável.

Ela passa o tempo todo limpando e organizando, abrindo e fechando portas e compartimentos, a fim de não deixar nada sujo ou fora do lugar.

Agora, quando você ouvir a bordo o aviso de apertar cintos, fique esperto e obedeça ou correrá o risco de ser guardado também, pois a Aeromoça tem mania de manter a ordem na aeronave e nada pode estar solto numa hora destas.

8 comentários Outubro 30, 2008

agradeço a todos os leitores e peço desculpas por não poder responder individualmente as perguntas. Abraços


3 comentários Setembro 17, 2013


Queridos leitores
Peço desculpas por não responder às frequentes perguntas, mas há uma completa indisponibilidade de tempo. Cheguei a cogitar a extinção desse blog, mas várias opiniões, alegando seu caráter genérico e abrangente, fizeram-me desistir

Add a comment Setembro 17, 2013


Queridissimas leitoras, há tempos não são respondidos os posts desse blog.
Pedimos desculpas àquelas que escreveram. Sugerimos que leaiam os artigos, quando quiserem esclarecer alguma ddúvida, pois neles estão respondidas as principais questões.
Abraços e boa sorte a quem quiser seguir a carreira da AEROMOÇA (comissária de voo).

6 comentários Junho 15, 2013

Quer ser aeromoça?


Pois se você desaja ser AEROMOÇA, verifique bem as exigências da profissão.

Se for muito baixinha, altona demais, gorda, pele com manchas ou espinhas, tatuagem aparente, tiver menos de 18 e mais de 30 anos, não fala inglês… não perca tempo. Você não se enquadra no perfil que o mercado exige. Vá fazer outra coisa para se realizar.

Para de se iludir!

24 comentários Junho 3, 2012

Palavras Mágicas


Quem disse que não há magia na fala?

Pois a AEROMOÇA conhece as 3 palavras mágicas que ajudam qualquer pessoa, onde quer que  esteja.

Sabe quais são?

Com licença,

Muito obrigada,

Por favor.

Add a comment Janeiro 17, 2012

Conselhos da Aeromoça aos Viajantes


 

Evite imprevistos.

Ora essa, ninguém prevê um imprevisto! Como evitá-los então?

Que tal, preparar-se para reagir, quando ele ocorrer?

Comecemos pela documentação do viajante:

Verifique com antecedência quais os documentos exigidos no país (ou países) do seu
destino. Providencie passaporte, vacinas e vistos, quando for o caso.

Na véspera da viagem, separe toda a documentação junto com os vouchers de hotel,
passagens de avião, trem, excursões, cartão de seguro viagem, tickets de
espetáculos, parques e o que mais providenciou para sua viagem. Coloque tudo no
mesmo lugar e guarde na bagagem de mão. Atenção! Não coloque na mala que
despachará no porão do avião. Se houver algum extravio da bagagem, o que pode
acontecer com qualquer viajante, você não terá de correr atrás de toda aquela
documentação.

Aliás, faça copia do passaporte e dos cartões de crédito. Guarde-os em local diferente
do que colocou os originais. Se for vítima de algum infortúnio, terá onde se
apoiar, pois a memória nessas horas sempre fica nos devendo.

A seguir vamos cuidar da mala e do que levará a bordo.

Prepare uma muda de roupa na bagagem de mão. Nunca se sabe se a mala chegará conosco ou
mais tarde ou se a Aeromoça vai derramar refrigerante em sua calça por conta da
turbulência inesperada.

Coitada  da Aeromoça, nada lhe deixa tão mal quanto derramar algo no seu querido
passageiro, mas acontece com a mais bela ou perfeccionista delas, um dia
acontece.

Lembre-se  que a bordo a temperatura da aeronave costuma ser mais baixa do que num dia de
primavera tropical. Leve sempre um casaquinho de malha ou, se for do sexo
feminino, uma “pashmina” (aquela manta leve, de colocar sobre os ombros). Ela
não pesa nem faz volume na bolsa. Além de tudo é charmosa.

Pense também nos medicamentos que levará. Se não usa algum diariamente, faça um “kit
pronto-socorro” (analgésicos, antitérmicos, curativos para pequenos cortes ou
bolhas nos pés, antialérgicos, antiácidos, etc.) e guarde-o na mala.

Lembre-se:  líquidos não são bem vindos a bordo. Na bagagem de mão não poderá carregar
frascos com líquidos ou cremes com 100 ml ou mais. Depois do triste episódio de
11 de Setembro, todo mundo que viaja é suspeito em potencial.

Nunca se sabe!

Um  viajante prevenido gasta menos tempo e menos dinheiro.  Acredite!

 

Add a comment Agosto 4, 2011

Volta ao Mundo em 25 Anos


É preciso tanto tempo para
dar a volta ao mundo?

Para a Aeromoça é, pois ela
não tem pressa, poderá voltar como tripulante muitas vezes a mesma cidade e nas férias ir a lugares que nunca foi.

Chega a hora de conhecer coisas novas e a Aeromoça escolheu essa profissão também por esse motivo.

Quando inicia a carreira, ainda jovem, faz voos dentro de seu país ou para países vizinhos.

Ela observa a arquitetura do local, se são altas ou baixas as casas, se são coloridas, se há parques e árvores nas ruas, se as ruas são limpas, se as pessoas andam rápido.

Aí chega a hora de ir aos museus. Para conhecer uma cidade, sua cultura e seus porquês ela deve procurar o museu histórico. Então começará a entender um pouco mais dos caminhos que percorre.

Hum, parece careta. Ir a museu? Coisa de gente velha…, mas porque não se dar essa oportunidade?
Oportunidade de descobertas. Depois ela poderá procurar museus mais exóticos e
aí entrará em contato com um mundo riquíssimo, que ela nem imaginava existir.

E a culinária local? Essa também vai revelar um pouco do lugar. Ela procura o Mercado Público, vê o que as pessoas comuns compram. Ela procura restaurantes que permitam saborear os prazeres locais.

Aos poucos tudo se torna familiar. Aí é a hora de vasculhar, nos detalhes, as  cidades que já conhece de modo genérico.

E as cidades vão se tornando pequenas para a Aeromoça.

Depois de um tempo ela já andou de ônibus, metrô ou trem como pessoa comum, curtiu os parques, as praias,  as ruas, o comércio, enfim, a Aeromoça vira uma cidadã do mundo.

Pode ser uma frase “clichê”, mas é a pura verdade.

Add a comment Julho 31, 2011

Menor a bordo


Você já imaginou confiar a estranhos a sua jóia mais valiosa?

Pois é assim que acontece quando alguém entrega seu filho menor a uma empresa aérea para ser transportado a outra cidade.

Pensem numa criança pequena de 6 anos viajando sozinha, ou melhor, incluam no mesmo voo uma de 7, duas 8, uma de 6, um de 9, duas de 12 e um de 15 anos. Agora pensem como a Aeromoça terá de se desdobrar para dar atenção especial a essa turma. Lembrando que ela tem mais de uma centena de passageiros para atender nesse voo de férias.

É, não é facil. O menorzinho vai querer ir ao banheiro e pedirá sua ajuda. O de 9 quer saber porque está lenta a tela de jogos do seu acento. A de 12 quer saber “que cidade é aquela lá em baixo.”

Sem contar naquele senhor com cara de sério rondadando a  menina de 12 anos e conspirando um assédio. Ah, pensando que a Aeromoça não percebeu suas intenções. Engano! A Aeromoça vai tratar de trocar a menina de lugar e avisar o restante da tripulação, no maior jogo de cintura. Tudo isso com o serviço de bordo rolando….

Iiiii, o de 7 quer mais um refrigerante, quando o avião está em procedimento de descida.

Bem, o voo faz uma escala, onde descerão 2 menores. É preciso ficar ligada nos outros que permanescem. Ainda haverá mais 2 escalas.

Por fim o voo termina e a Aeromoça entrega os menores ao despachante no destino de cada um. As joias confiadas a ela foram cuidadas com tanto carinho que ela mereceu beijos dos pequenos e até um desenho do de 7 anos. Sem contar no sorriso de cumplicidade na despedida da menina livrada do assédio.

Missão cumprida! A Aeromoça segue para o hotel cansada e satisfeita por ter dado o melhor de si. Amanhã ela não lembrará dos rostos daqueles que atendeu com esmero, mas terá ficado no imaginário daquelas crianças por algum tempo.

Assim é a Aeromoça que cuida das jóias alheias.

4 comentários Julho 11, 2011
Etiquetas:

Casamento Real


Conto de fadas moderno?  Não, amor real contemporâneo. Amor de carne, osso, sentimento e marketing.

Todos precisamos da fantasia, do sonho para devanear, viajar em direção a um mundo mais glamuroso do que o nosso cotidiano.

Por isso o casamento do Príncipe William e da Kate fez tanto sucesso pelo mundo todo.

A cerimônia pomposa, os chapéus e adereços das convidadas … um arrazo!

Mas, vocês viram a elegância e estilo da mãe da noiva, Carol Middleton?

Só podia! Ela foi Aeromoça (comissária de voo).

Isso diz tudo. Uma verdadeira aeromoça carrega consigo o garbo da realeza.

3 comentários Abril 29, 2011

Bailarina ou Aeromoça?


Houve um tempo que ser professora era o sonho das boas famílias para suas meninas bem comportadas. As escolas que ofereciam o Curso Normal viviam cheias de moças. Fizeram-se tantas professoras primárias em nosso Brasil, que a carreira tornou-se quase que exclusivamente feminina.

O tempo rolou e foi permitido às jovens sonharem seus próprios sonhos.

O voo belo e livre dos sonhos permitia que as jovens se imaginassem inseridas na beleza dos palcos repletos de cisnes dançantes, com roupas delicadas, gestos nobres e sutis.

Elas poderiam ser bailarinas …… ou sonhariam com a ousadia glamurosa de voos reais que as levariam para outros mundos.

Elas poderiam ser Aeromoças.

Desejar se bailarina ou Aeromoça poderia trazer grandes discórdias familiares, já que não eram profissões bem vistas.

Mas isso foi há muito tempo.

Hoje, bem se sabe que toda profissão traz em si o bom e o ruim. Tudo dependerá de como será vivida. Porém há pontos incontestáveis:

Nem tudo é glamour.

Toda a bailarina ou Aeromoça acorda despenteada, tem calos nos pés (no caso das primeiras) e nas mãos (no caso das segundas), além de outras mazelas humanas.

Mas, no palco ou a bordo, ambas continuam vendendo a imagem da beleza e felicidade.

Afinal, não é para qualquer uma ser bailarina ou Aeromoça, não é mesmo?

2 comentários Março 9, 2011

Bem vindos, a bordo.

aeromoça

menor a bordo príncipe encantado